Bastter.com - FAQ



FAQ

Explicação do FAQ
  • A Invasão das sardinhas atomicas
    Este site de tempo em tempo sofre invasao de sardinhas
    por isso prefiro os periodos de queda da Bolsa
    que a sardinhada nos esquece

    começou a bolsa a subir a sardinhada invade e sempre com uma nova sardinhice

    - houve epoca que a sardinhisse era que Telemar ia bombar e as diferentes formas de analise tecnica que provavam que algo que caiu de 40 para 27 estava subindo

    - houve uma epoca dura q todo dia alguem vinha aqui provar que venda descoberta era a melhor operação do mundo, serio, essa pelo menos passou, Predador sofreu muito com essa ate o dia q ele decretou qe nao se discutia mais isso aqui, ou o cara entende ou entao vai colocar o seu rabo na reta e seja feliz

    ai veio o TUPI e nunca mais ninguem veio nos convencer da beleza q era a venda descoberta hehehe
    nada como um bom ferro para aprender

    - Ja teve a epoca da bolha imobiliaria que foi anunciada por 5 anos hehehe, pessoal consegue ser tao sardinha a ponto de achar q bolha é anunciada no jornal antes de acontecer, essa ja passou tb, ninguem fala mais. Os imoveis cairam de preço como é normal em renda variavel e nao aconteceu nada demais

    - agora estamos vivendo a epoca dos produtos de banquinho. É tanto sardinha metido nisso q temos muito pelo CREU que virá.Todod ia aparece um defendendo produto de banquinho com as contas fantasticas e tudo mais. Banco e governo virou instituiçao de caridade e coisa indicada por analista e midia e q toda sardinhada investe virou bom investimento hehehehe

    todo bullshit forte tem a parte tecnica por tras, e se vc quiser se enganar a formas matematicas de se enganar

    Quando eu ainda era medico, tive um chefe brilhante que me dizia, se em 30 segundos voce nao souber que é picaretagem, voce nao vai ser um bom medico...

    No aguardo da proxima sardinhisse que vai nos assolar

    Enquanto isso, ainda bem, e so por isso vale a luta, centenas cuidando dos seus trabalhos, da sua formação e investindo com tranquilidade nas coisas tediosas

    quem quiser desardinhar um pouco o cerebro, o q é sempre bom, leiam este tema fantastico

    Bastter.com - Grupos - Forum Acumular Patrimônio em Valor - Idade pra começar
  • Ação, o que é uma ação?
    QUEM CALCULA RENTABILIDADE DE COTAÇÃO É POR QUE COMPROU PAPEL E NÃO EMPRESA.
    Quem compra uma ação está comprando UM PEDAÇO EM UMA SOCIEDADE COM UMA EMPRESA.
    Se você está se preocupando com o preço que outros estão negociando esse papel, é porque VOCÊ ESTÁ FOCADO NO PAPEL E NÃO NA EMPRESA. VOCÊ TEM MENTALIDADE DE TRADER (MENTALIDADE MERAMENTE ESPECULATIVA, PORTANTO) E NÃO DE SÓCIO.
    SEMPRE TRATE AÇÕES DA MESMA FORMA QUE VOCÊ TRATARIA EMPRESAS QUE FOSSE DONO DA TOTALIDADE. Isso é ser sócio.
    Deixa eu contar um caso REAL que estou presenciando nos últimos meses:
    Uma holding bota uma das empresas à venda, por qualquer motivo. Digamos que a holding investiu 1,5X nessa empresa. Ela tentou colocar à venda por 4X, conseguiu interessados mas não nesse preço. Empresas semelhantes estão por 1X e foi isso que ela recebeu de oferta.
    MENTALIDADE DE TRADER: "AI MEU DEUS! PUTA MERDA: -33% DE PERDA! AI MEU DEUS! BEAR MARKET! VENDE TUDO BOTA NA RENDA FIXA!".
    Ou seja, foco apenas no PAPEL e em quanto está sendo negociado por aí.
    Agora vamos para a realidade: NENHUM DOS SÓCIOS E EXECUTIVOS DESSA HOLDING SE PREOCUPOU. NENHUM DOS SÓCIOS DESSA HOLDING CALCULOU -33%. NEM SABEM DESSE NÚMERO. NENHUM DOS SÓCIOS DESSA HOLDING ESTÁ PREOCUPADO COM O PREÇO QUE OS OUTROS ESTÃO NEGOCIANDO SEUS ATIVOS SEMELHANTES.
    Essa empresa subsidiária lucrou 0,5X ano passado, vai lucrar um pouco menos esse ano pela crise e tem planos para conseguir 0,8X ano que vem. VOCÊ ACHA QUE ALGUM EXECUTIVO OU CAPITALISTA DE SUCESSO VAI SE PREOCUPAR SE O PREÇO DE VENDA DE UM ATIVO BOM QUE DÁ LUCRO ESTÁ MUITO BAIXO? NÃO! NÃO IMPORTA! NÃO VENDE!
    Se precisava do dinheiro para algum outro investimento e conseguiu uma oferta que considera justa, pode vender. Se não conseguiu, é bem simples: não vende e todo mês a holding vai recebendo esses lucros! Fim!
    Da mesmíssima forma, se não desse lucro e não tivesse perspectivas venderiam pelo preço que ofertarem e deu!
    É A MESMA COISA NO BUY AND HOLD!
    EU VOU REPETIR: O QUE REMUNERA O ACIONISTA É O LUCRO E NÃO A COTAÇÂO!
    SE A COTAÇÃO TE TIRA O SONO, VOCÊ NÃO É SÓCIO.ESTÁ FAZENDO TRADE!
    O QUE DEIXA SÓCIO FELIZ É LUCRO! E O QUE DEIXA SÓCIO TRISTE É PREJUÍZO!
    Se você quer perder mais tempo com ações, perca analisando FUNDAMENTOS e não medindo cotação!
    Não importa se você bateu ou não o índice síntetico X ou Y! Isso é totalmente irrelevante!
    O que importa é se você está aumentando suas participações em empresas boas que dão lucro! E se o lucro dessas empresas está se mantendo e crescendo, assim o SEU LUCRO cresce!
    A VERDADEIRA RENTABILIDADE NÃO É MEDIDA NA COTAÇÃO, POIS VOCÊ É HOLDER E NÃO VAI VENDER BOAS EMPRESAS. A VERDADEIRA RENTABILIDADE DO SÓCIO SE MEDE NOS LUCROS.

    Celtiberian
  • Análise de ROE x Margem
    1 – Introdução

    O retorno sobre o patrimônio (ROE) é influenciado pela margem, pelo giro e pela alavancagem de uma empresa. Assim, é possível ter uma boa rentabilidade medida pelo ROE com as seguintes combinações:
    * Margem baixa com giro algo
    * Margem alta com giro baixo
    * Margem alta com giro alto (pouco comum).
    Logo, uma empresa com margem baixa, pode dar boa rentabilidade desde que seu giro seja alto.
    A influencia de cada um dos fatores pode ser mensurada por meio de formulas matemáticas, mas o mais importante para o pequeno investidor é entender os conceitos inerentes e não calcular cada um dos fatores.

    2 - Influencia da Margem x Giro no ROE

    Pense em duas empresas que compre e venda carro, a empresa A tem 100 mil e B também tem 100 mil
    A compra um carro por 80 mil e vende por 100 mil so fez esta venda
    Receita 100 mil
    Lucro = 20 mil
    Margem = 20 %
    ROE = 20 mil (lucro) / 100 mil patrimônio = 20 %
    A empresa B compra um carro por 90 mil e vende por 100 mil, mas tem alto giro e antes de acabar o período recebe o dinheiro compra outro carro por 90 mil e vende por 100 mil
    Receita 200 mil
    Lucro 20 mil
    Margem 10 %
    ROE = 20 mil (lucro) / 100 mil patrimônio = 20 %
    Note que B teve a metade da margem de A, mas teve a mesma rentabilidade (ROE) pois teve o dobro do giro

    3 – influencia da Alavancagem

    A forma como a Alavancagem afeta o ROE é complexa e envolve spread (diferença entre custo do capital próprio x custo de capital de terceiros). De qualquer forma, o importante é saber que a Alavancagem tende a provocar um aumento do ROE, mas também aumenta o risco da empresa devido a contratação de dívidas. Essa dívida pode impactar o lucro futuro de forma positiva ou negativa, mas isso deixaremos para outro ponto que é a análise da dívida. Para finalizar, sempre que os grandes mestres falam de um indicador, em ato continuo, eles dizem a palavra consistente, pois a engenharia financeira pode distorcer um indicador de forma pontual, mas sua analise no tempo nos revelará a sua sustentabilidade/consistência.

    Por luqteixeira
  • Balanço Patrimonial - Dados

    ATIVOS são APLICAÇÕES. Para onde FOI o dinheiro.

    PASSIVOS são FONTES. De onde VEIO o dinheiro.

    Patrimônio líquido está do lado dos PASSIVOS. É a parte do dinheiro que veio dos acionistas (capital social, lucros retidos em anos anteriores, etc).

    Além dos acionistas, há outrosgeradores de FONTE de dinheiro, como fornecedores que te vendam a prazo, bancos, etc.

    Você não pode somar caixa e aplicações com patrimônio líquido. O resultado final não teria nenhum sentido.

    Exemplo prático (depreciação e amortização e variação de capital de giro suprimida para ser didático, assume que tudo é pago a vista, que não tem estoque, etc):

    Você abriu uma empresa com $10 de capital e comprou uma máquina de $9:

    Ativos 10: $1 em caixa, $9 em imobilizado
    Passivos 10: $10 em Patrimônio líquido

    Você operou 1 ano, lucrou $3. No último dia do ano tomou $7 emprestado e expandiu a fábrica por $8.

    Ativos 20: $3 em caixa, $17 em imobilizado
    Passivos 20: $7 bancos, $13 em PL ($10 no CS e $3 nos retidos)

    Note que sempre o lado das FONTES fecha com o das APLICAÇÕES. Pois nenhum real pode vir de algum lugar e terminar em nenhum. E nenhum ativo pode surgir do nada.

    por celtiberian
  • Como Funciona a Marcação a Mercado
  • Como pode a empresa ter Payout maior que 100%
    1) Distribuição de dinheiro em caixa.
    2) Empresas com case de negócio que possuem grande amortização e/ou depreciação.
    - Pioner

    A razão é mais ou menos assim:
    - Alguns setores tem a característica de fazer investimentos apenas no inicio do negocio. Como não precisa mais acumular dinheiro para investimentos futuros, todo o caixa gerado pode ser distribuido.
    -mbx

    Distribuição de lucro de outros exercícios, geração de caixa muito maior do que o lucro. Geralmente apenas quando a empresa tem um case que necessita de baixo investimento. Pode ocorrer também em um evento não recorrente que entre no caixa e não transite no DRE.
    -Asvidzinski
  • Desdobramento e Agrupamento
    - Desdobramento
    A quantidade de ações multiplica por um fator e o preço é dividido pelo mesmo fator.
    As sobras são depositadas na sua conta em dinheiro.

    Exemplo:
    Tenho 100 açoes a 20 reais = 2000 reais
    Desdobrou por 5
    Passo a ter 500 ações a 4 reais = 2000 reais
    Sempre o capital antes = capital depois.

    Agrupamento = A quantidade de ações divide por um fator e o preço da ação multiplica pelo mesmo fator. O resto é tudo igual, só ao contrário.

    Ambos os casos, todas as ordens são canceladas.
  • Dividas inclusive Financiamento Imobiliario
    Se voce tem dividas, pague todas as dividas antes de investir. Mantenha somente reserva de Emergencia e todo o resto vai para pagar dividas. Investir com dividas é se enganar e se fizer isso terminará com menos patrimônio. pague tudo que puder e no caso de dividas mais longas compre Tempo sempre que possível.

    Mesmo o financiamento imobiliário, mesmo que tenha taxas mais baixas deve ser pago antes de investir. O Governo pode mudar a regra, voce pode perder o emprego, muitas coisas eradas podem acontecer.

    se tiver algo para vender, venda para pagar as dividas. Nada é seu de verdade se você tem dividas.

    Veja grande tema sobre este assunto:
    Bastter.com - Grupos - Forum Finanças Pessoais - Zerar dívidas antes de investir
  • Dividendos
    Distribuição de parte dos lucros da empresa O conceito básico por trás dos proventos em dinheiro é a distribuição de parte dos lucros obtidos por uma empresa para seus acionistas. Ao comprar uma ação, você se torna acionista e, portanto, tem direito a receber a sua parte dos lucros que a empresa gera.
    Assim, quando você recebe dividendos de uma empresa, você está recebendo uma parcela do lucro, que é determinada pela legislação brasileira em pelo menos 25% dos lucros gerados pela empresa em um determinado período de tempo.
    Para a empresa, os dividendos são distribuídos a partir do lucro líquido, ou seja, após o pagamento de IR, CSLL e outros impostos ou contribuições.
    Com isso, os valores que são anunciados em dividendos para os acionistas já são líquidos de imposto de renda, já que a empresa efetuou o pagamento de impostos sobre estes lucros.

    Dividendos e Outros Proventos - YouTube
  • Dividendos - compreendendo como funciona
    Ta aí um assunto que leva a muito rolo e confusão, especialmente porque eles mesmos, os analistas e a mídia, como sempre, passam conceitos totalmente errados sobre os dividendos.

    Dividendos não são brinde! Para uma empresa pagar dividendos, o dinheiro tem de sair de algum lugar.

    Se você tem 1000 Ações de uma empresa que está a 10 reais e ela distribui 1 real de dividendos, o preço de fechamento dela é ajustado pela Bolsa, ficando ex-dividendos para 9 reais.

    Você tinha: 1000 Ações a 10 reais = R $10.000
    Agora você tem: 1000 Ações a 9 reais = R$ 9.000 e vai receber R$ 1.000 em dividendos futuramente que serão depositados na sua conta na corretora.

    Depois a Ação pode subir, cair ou ficar na mesma como em qualquer dia, isso independe dos dividendos. E se ela voltar a 10, ela iria a 11 se não fossem os dividendos.

    Você não ganha dinheiro algum, para a empresa pagar dividendos eles tem de sair do caixa da empresa e logo, o patrimônio da empresa diminui. Não se cria dinheiro a partir do nada e dinheiro não se reproduz.

    Quando uma empresa tem lucros ela pode:
    - Reinvestir os lucros na empresa, o que se der certo, aumentará o crescimento e os lucros da empresa futuramente.
    - Recomprar Ações da empresa, fazendo com que se aumente a posição dos acionistas e a futura distribuição de lucros para eles.
    - Pagar dívidas, diminuindo o gasto com juros e potencializando lucros futuros (aqui tem de se avaliar bem, pois as dívidas têm beneficio fiscal e podem ter taxas baixas podendo ser mais interessante mantê-las. PJ não é PF).
    - Comprar outras empresas o que pode aumentar os lucros futuros.
    - Se não achar nada interessante para fazer que vá trazer lucros maiores no futuro, pagar dividendos.

    Se uma empresa tem projetos com expectativa positiva para utilizar o dinheiro, pagar dividendos, aumentar os dividendos ou pagar mais do que devia, é uma forma de prejudicar os acionistas.

    Isso é feito muitas vezes porque os majoritários desejam receber dinheiro e não estão preocupados com o potencial máximo da empresa. E os minoritários que na verdade estão sendo prejudicados acham isso ótimo.

    E não me venham com eu prefiro receber dividendos porque não confio na administração. Se não confia na administração é sócio da empresa exatamente por quê?

    Há diversas formas de uma empresa beneficiar seus acionistas, dividendos é somente uma delas. E considerando que os dividendos não são brinde e que saem do principal investido, eles devem ser sempre reaplicados na fase de formação de capital, senão o patrimônio não vai crescer.

    Estas fantasias difundidas pela mídia de viver de dividendos a partir de um patrimônio pequeno e as comparações absurdas de dividendos com Renda Fixa (mais uma comparação de banana com laranja), levam os menos experientes a cair em armadilhas como a recente da ELPL, que como sempre terminou muito mal. Um monte de gente começou a vender tudo para se encher de ELPL, a empresa piorou e todos tiveram enormes prejuízos, especialmente por não controlar risco adequadamente.

    Dividendos nunca deve ser critério de escolha de Empresa. Você deve ser sócio de empresas boas, com lucros consistentes que preencham seus critérios para ser sócio. Se a empresa for boa e com boa governança ela vai te beneficiar com seus lucros de uma das formas acima. Dividendos será uma delas apenas. As outras podem te beneficiar bem mais que os dividendos se forem bem executadas.

    Portanto, foque em analisar se a empresa mantém lucros consistentes, situação de caixa, divida equilibrada, boa governança, etc. Esqueça dividendos como deve esquecer cotações. Uma vez por mês pegue o que tiver na conta da corretora, junto com o dinheiro para aplicar e faça o aporte mensal. Menos uma coisa para você ficar se preocupando, perdendo seu tempo e se emocionando.

    Só um exemplo rápido para finalizar:
    APPLE praticamente nunca distribuiu dividendos.
    OIBR distribuiu um caminhão de dividendos.
    Quem vocês acham que está melhor? O sócio de qual das duas?

    E quanto à pergunta: “como o sócio da APPLE faz se ele precisa de dinheiro?” Simples: vende umas ações. Qual o problema? Ou usa de alguma outra renda.

    Vamos dizer que você pudesse investir a mesma quantia em uma das duas empresas há 20 anos. Você preferia ter 1 Milhão em APPLE e vender umas Ações quando precisar ou ter 10 Mil em OIBR e ficar recebendo dividendos?
  • E se eu receber um dinheiro grande para investir de uma vez?
    Claro que voce pode pegar e colocar tudo da forma que o BS manda e pronto, mas investimentos grandes, tudo de uma vez não são eficientes. O custo do erro é alto sem contar que vai pagar um monte de taxas de uma vez. Mas ainda assim dessa forma até pode ser feito.

    O que não é recomendável de forma alguma, é colocar muito dinheiro de uma vez em ações. Se a bolsa cai muito logo depois é dificil resistir a não vender tudo no fundo em pânico.

    O ideal sempre no acumulo de patrimonio são pequenas compras mensais persistentes, todo mês, portanto uma boa solução é colocar o dinheiro na caderneta, dividir em 10 ou 20 partes e ir adicionando ao investimento mensal, mês a mês até acabar.

    Portanto há estas duas soluções, espalhar de acordo com o BS ou colocar na caderneta e ir colocando aos poucos conforme o BS mandar. Eu prefiro mil vezes a segunda solução mas cada um decide.

    Assista o Video do Eduardo - Como fazer um Aporte Grande. Procure nessa seção: Bastter.com - Videos - Finanças Pessoais
  • Empresa anuncia OPA, o que faço?
    Quando uma empresa anuncia OPA (fechamento de capital) ou a intenção de fazer OPA ela ta dizendo: Não queremos mais minoritários.

    No Brasil o respeito a minoritarios não tende a ser grande, imagina nas que não desejam mais ter minoritarios.

    Então uma empresa que anuncia a intenção de OPA perde valor e só devemos manter nosso dinheiro investido onde tem valor.

    Nesta situação a recomendação é sair da empresa, sem se importar com preços, e colocar o capital onde tem valor.

    Se for mais de 20 mil e no lucro em relação ao PM de compra, pode se sair por etapas para não pagar IR.

    O dinheiro da venda entra nas compras mensais do BS. Se for um valor muito alto, pode-se dividir em etapas se achar melhor.
  • Formador de Mercado ou Market Maker, o que é?
    Formador de mercado
    É um serviço contratado por algumas companhias para conferir liquidez as suas ações. Através de ordens de compra e venda, estabelecidas a partir de um determinado spread, o formador de mercado contribui para a liquidez do ativo, uma vez que possibilita a entrada e saída de outros investidores – ter ordens disponíveis de compra e venda a qualquer momento é um incentivo para que os investidores negociem esses ativos. Na BM&FBOVESPA, o papel do formador de mercado pode ser desempenhado por corretoras, distribuidoras de valores, bancos de investimento ou bancos múltiplos com carteira de investimentos que, ao se credenciarem para exercer essa função, assumem a obrigação de colocar no mercado, diariamente, ofertas firmes de compra e de venda para uma quantidade de ativos predeterminada e conhecida por todos. O aumento de liquidez é importante para tornar o investimento na empresa viável para grandes investidores (como investidores institucionais). Quanto menos liquidez, mais caro e difícil pro gestor fazer ou desmontar posição grande. Por outro lado, há quem conteste a utilidade de tal serviço e repute ser gasto desnecessário da empresa sob o argumento de que a liquidez e o interesse pela empresa devem ser consequência da qualidade dos seus fundamentos.

    Texto enviado por PFO
  • Glossário da Bastter.com
    Veja todos os termos do Glossario da Bastter.com

    Bastter.com - Glossário de Termos e Abreviações
  • Impairment, o que é isso?
    Impairment é reavaliação dos resultados futuros de uma ativo.

    Isso ocorreu recentemente com a Petrobras, com a redução do fluxo de caixa futuro dos campos de petróleo e refinarias - o que levou a uma baixa contábil de seus ativos.

    Quando a empresa diz "Perda estimada em R$ 186,9 Milhões na Recuperabilidade do Ativo "ágio" " significa que aquele ativo não vai mais trazer resultados de fluxo de caixa esperados no momento da compra.

    Ativos geradores de renda podem ser fixos ou intangíveis.

    No caso do ágio pago pelos "negócios de anéis" (do segmento de componentes de motores), entra como ativo intangível.

    As mudanças de variáveis de mercado (como as taxas de câmbio e queda no volume de vendas) fizeram a empresa reavaliar a capacidade de geração de caixa dessa unidade.

    Sim, é um efeito contábil. Não é regime CAIXA.

    Não saiu dinheiro do caixa. Porém uma queda dos valores dos Ativos afeta o Patrimônio Líquido.

    Para equilibrar o balanço a empresa lança como prejuízo, que afeta o lucro líquido, que afeta o Patrimônio Líquido.

    Essa reavaliação é obrigatória para as empresas.

    É normal ocorrerem, seja a níveis pequenos ou grandes.

    por Bruno Gonçalves
  • Imposto de Renda
  • Juros sobre Capital Prórpio
    Outra forma de pagamento de proventos em dinheiro é através dos juros sobre o capital próprio (JCP). Para o acionista, a grande diferença é que ele tem que pagar 15% de imposto de renda na fonte, de forma que sempre é preciso ficar atento se o valor anunciado é o bruto (sem impostos) ou líquido (já descontando os impostos).
    Para a empresa, muitas vezes o uso de JCP é vantajoso do ponto de vista fiscal. Desde sua criação, o pagamento de JCP permite que a empresa remunere seus acionistas até o valor da TJLP, com o valor sendo considerado como despesa financeira. Com isso, ele reduz o lucro tributável, diminuindo o IR a ser pago pela empresa.
    A grande vantagem é que a empresa pagaria impostos maiores sobre o lucro, na faixa de 25%, do que os acionistas, que pagam 15% sobre os JCP.
    Assim, ela pode oferecer JCP, que mesmo após o pagamento de IR, podem ser maiores do que seriam na forma de dividendos, em função da diferença nas alíquotas de tributação.
  • Leilões da Bovespa, como funcionam?
  • Livro de Ofertas
    Vídeo do Bastter explicando:

  • Margem de Segurança, para que serve?
    Um dos dados utilizados para trade de valor, não tem qualquer utilidade para sócios que devem ignorar este dado.

    Conceito:

    Diferença positiva entre o potencial de ganho na ação e a taxa de juros praticada pelo mercado ou a perspectiva de ganho investindo em títulos do governo.
    Este conceito advém do chamado Poder de Lucro da ação que é dado pelo lucro liquido da empresa dividido pelo valor de mercado da empresa.
    Exemplo:
    Uma empresa que vale 1 bilhão e que apresenta lucro liquido anual de 200 milhões teria um Poder de Lucro de 20% (200.000.000/1.000.000.000)
    A Margem de Segurança então seria o (Poder de Lucro/Taxa de Juros do Mercado) – 100%.
    Considerando o exemplo acima e uma Taxa de Juros de 12% teríamos 20/12 – 100 = 66%
    Uma forma fácil de avaliar a Margem de Segurança é determinar a margem que se deseja, considerar a taxa de juros do mercado e assim chegar ao P/L mínimo para ter a margem de segurança desejada que é o que colocamos na calculadora:
    Exemplo:
    Desejamos margem de 30% para uma taxa de juros de 12%. Qual o P/L máximo que devemos aceitar?
    30% = 1/X*1/12% - 100%
    130%*0,12 = 1/X
    X = 1/0,1560 = 6,41
    Neste caso então para a ação ter uma Margem de Segurança acima da desejada, o P/L teria que estar abaixo de 6,41.
  • O que acontece na Bonificação? O que eu tenho de fazer?
    Em primeiro lugar vale a regra para todos eventos com ações:

    CAPITAL ANTES = CAPITAL DEPOIS
    E NÃO MUDA NADA

    Definição de Bonificação:

    A bonificação não é, na grande maioria das vezes, um provento em dinheiro, mas sim em ações. Assim, representa uma distribuição gratuita de novas ações, geralmente em função de aumento de capital ou incorporação de reservas.

    Bonificação em ações Distribuição de resultados da companhia mediante emissão de ações, quando de incorporação de reservas ao capital social. As ações bonificadas são entregues gratuitamente aos acionistas, na proporção da quantidade de ações possuídas. A bonificação aumenta a quantidade de ações da empresa, sem alterar o valor do patrimônio. Exemplo: Companhia com capital de 100 e reservas de capital de 20 resolve incorporar tais reservas ao capital registrado. Para tanto, resolve aumentar o capital mediante bonificação em ações novas, gratuitas, aos acionistas. O Patrimônio Líquido, de 100 (capital) mais 20 (reservas) passa a ser de 120 (capital), ou seja, não se altera.

    Bonificação em dinheiro - Distribuição aos acionistas de valor em dinheiro referente a reservas até então não incorporadas ao capital. Não confundir com dividendo.

    O que eu tenho de fazer?

    A principio nada. As ações serão incluídas na sua custodia na corretora sem você ter de fazer nada

    O que acontece com o preço da ação?

    O preço da ação é descontado no dia EX-Bonificação na proporção da bonificaçao. No dia seguinte o mercado como em qualquer dia faz o que quiser. Normalmente se ajusta os graficos historicos na mesma proporção.

    Como eu incluo as ações novas no BS ou considero para IR?

    Inclua como se fosse uma nova compra ao preço indicado no comunicado da empresa. Normalmente incluimos este preço no FAQ da empresa.

    E as frações?

    Se voce tiver sobras de ações, elas serão leiloadas e o dinheiro será depositado na sua conta na corretora. Novamente não precisa fazer nada.

    Se tiver mais duvidas, coloque nos Grupos Espaço do Novato - Bastter.com - Grupos - Espaço do Novato ou no de IR - Bastter.com - Grupos - Imposto de Renda - No FAQ do Grupo de IR ha farto material sobre o assunto.

    POR FAVOR NÃO COLOQUE PERGUNTAS SOBRE ESTE ASSUNTO NOS MURAIS DAS EMPRESAS POIS SERÃO DELETADAS

    Mais material sobre Bonificação do Luqteixeira:

    FAQ - Entendendo a bonificação

    Principio

    Quando a empresa decide aumentar o capital social ela pode fazer isso e distribuir ações adicionais. Ela determina quanto vai aumentar de capital social, qual o valor atribuído a cada ação e o número de ações. Lógico que estes fatos estão relacionados entre si, então ela determina 2 deles e calcula o outro. Ou seja, são três variáveis mas tem apenas dois graus de liberdade (para quem gosta de estatística).

    Como se calcula a % de bonificação ?

    Digamos que a empresa tenha 1000 ações hoje, vai aumentar o capital em R$ 2.000,00 e atribui o valor de 20,00 por ação
    ações adicionais = 2000,00/20 = 100 novas ações
    % de bonificação = 100/1000 = 10 %
    Ela pode fixar o valor atribuído e calcular o numero de ações adicionais ou fixar o numero de ações que quer adicionar e calcular o valor atribuído. Ela escolhe qual ponta será calculada.
    O que de fato interessa ao sócio?
    Saber quantas ações recebeu e o valor atribuído a cada uma.

    Como fica o imposto de Renda ?

    o sócio usa o numero de ações recebidas e valor atribuído como se fosse uma nova compra chegando no valor total de ações e no novo preço médio que será declarado em bens e direito (aqui vai funcionar como se fosse uma compra normal) mas como você não pagou por essa compra vai ter de informar de onde veio o dinheiro da "compra" (bonificação). Por isso, o valor da bonificação você informará em rendimentos isentos e não tributados linha 14. Isso vai balancear seu imposto de renda, ou seja houve aumento no número de ações e a fonte do recurso que foi usado, ou seja a bonificação.
  • O que é o Free Float?
    Ações de uma empresa de capital aberto que se encontram em circulação, excluindo-se aquelas pertencentes aos controladores e aquelas mantidas na tesouraria da companhia. Teoricamente um FF maior gera mais liquidez e um FF muito baixo dificulta a liquidez. No Novo Mercado e nos segmentos 1 e 2, exige-se um FF de no mínimo 25%.

    Na Bastter.com va na Area de Ações - http://www.bastter.com/Mercado/Acao/Default.aspx - Va na pagina da empresa que deseja verificar o FF e clique na aba Multiplos.
  • O que representam os números e códigos das ações
    O codigo das empresas tem quatro letras. Por exemplo, Petrobras = PETR

    A letra 3 é usado nas ações ON
    PETR3 seria a PETR ON

    As letras 4, 5 e 6 nas PNs. Mas a mais usual é a 4.
    PETR4 = Petrobras PN
    Vale5 = Vale PN

    A letra 11 para UNITs que é um pacote de ONs e PNs. Tem o item UNIT aqui no FAQ.

    TAEE11 = Taesa UNIT que corresponde a 1 ação ON e 2 PNs

    As letras 1 e 2 são usadas para recibos de subscriçao

    Para operar o fracionario (Tem sobre o fracionario aqui no FAQ também), tem de colocar a F após o simbolo

    Por exemplo Fracionario da Petrobras ON
    PETR3F
  • O que são Não Recorrentes
    São eventos, lucros, prejuízo, como diz o nome não recorrentes. Evento especiais, isolados. A empresa ganhou ou perdeu uma causa na justiça, comprou ou vendeu algo, fez algum ajuste, etc. São fáceis de observar, basta olhar os lucros trimestrais e ver algo destoante.

    Um ou outro não recorrente não tem muita importância mas a empresa que começa a ter não recorrente toda hora, especialmente se for prejuízo, além de dificultar a análise do balanço, pode sinalizar algum problema.
  • O que são UNITs?
    A UNIT é um pacote de ações normalmente composto por ONs e Ps em diferentes proporções.
    Entra na pagina da ação na Area de Ações e clique em múltiplos para ver a composição.
    Sócio é ON então quem deseja realmente ser sócio deveria esquecer as empresas que só oferecem UNITs mas isso é decisão de cada um.
    As UNITs vem com o numero 11, por exemplo TAEE11
  • ON ou PN?
    Para ser sócio, só existe a ON.
    PN foi um tipo de ativo criado para que os donos da empresa possa vender ações sem perder o controle.
    Pior ainda é quando a P nem tem tag along (Ver o item do FAQ Tag Along).
    Não há garantia absoluta e o sócio minoritário pode sempre perder, mas ao menos tendo a mesma ação que os controladores, você está diminuindo as chances dos mesmos te prejudicarem.

    Veja o Video

    ON ou PN? Sócio é ON! - YouTube

    Texto do Celtiberian:

    "PN é um instrumento híbrido.

    Na maioria dos casos se não forem cumpridas as obrigações mínimas ela adquire o direito de conversão em ON.

    É como se fosse um bond perpétuo (nunca devolve o principal), com juros contratados caso a caso (percentual do lucro ou não, com dividendo mínimo em $$$ ou não) e conversível em ações.

    Nos EUA as PN nem são consideradas no cálculo do lucro por ação, apenas no cálculo do lucro por ação diluído (que considera na base acionária todas possibilidades de diluição no mercado no momento: direitos de subscrição, stock options para executivos, PN, dívidas no geral conversíveis em ações, etc).

    No Brasil a PN é muito pior que nos EUA, pois tem todos os defeitos mas não costuma ter juros mínimos em

    No Brasil a PN foi vendida para os controladores como "ação sem perder o controle". Mas não é isso! PN é uma dívida caríssima! Os dividendos da PN são "juros de dívida" muito caros pois são pagos depois de pagar o IRPJ! Imagina uma carga de 40% de impostos sobre o lucro, uma PN com dividendo mínimo de 6% na verdade custou 10%. Em um ambiente de baixos juros valeria a pena até emitir dívida e resgatar todas PN!

    E ela é vendida para as pessoas como AÇÃO! Não é ação! Ação = common stocks = ON. PN é dívida, só deveria ser analisado comparando com bonds da mesma empresa ou de empresas comparáveis. A conversibilidade em ON (o aspecto "patrimonial" da PN) é apenas o lastro, sua "garantia" caso algo vá mal e não receba o combinado. Mas não vota! Não é sócio! E as regras de remuneração da PN no Brasil são bem ruins, tem várias possibilidades de quem tem PN se ferrar MESMO do ponto de vista de instrumento de renda fixa / dívida.

    Por isso que o Bastter agora fala: PN não é ação.

    É isso mesmo. PN não é ação. É instrumento híbrido. É dívida com lastro em ação, com juros variáveis de acordo com o lucro da empresa.

    EMPRESA VAI BEM:
    ON: Maiores ganhos;
    PN: Recebe o contratado ou alguma coisa a mais, dependendo da regra;
    Debêntures e outras dívidas: Recebe o contratado.

    EMPRESA VAI MAL:
    ON: Sofre perdas;
    PN: Pode não receber nada;
    Debêntures e outras dívidas: ou recebem o contratado ou forçam recuperação judicial e executam garantias.

    EMPRESA LIQUIDADA:
    ON: fica por último, provavelmente sai zerado;
    PN: fica por antepenúltimo, provavelmente também sai zerado;
    Debêntures e outras dívidas: tem alguma chance de receber alguma coisa, nem que seja o controle da empresa em troca das dívidas.

    Eu concordo com o Bastter! PN é pior que dívida! Ela tem mais riscos, igual ON, mas não tem tantos benefícios a mais para compensar!

    PN é cocô!

    Eu não compro mais UNIT por isso (as que tenho não vendo pois as empresas dão lucro e migrar é pros pássaros, mas não compro mais)."
  • Ordens no HomeBroker
    Tudo ou nada = so executa se for a ordem total

    Executa ou cancela = O que não executar no mesmo momento é cancelado

    Vale ate cancelar = a ordem fica na pedra ate ser cancelada
    (algumas corretoras não tem este tipo de ordem mas permitem que se coloque um prazo longo)

    A terceira é a ideal para B&H

    manual de utilização da Bovespa
    http://www.bmfbovespa.com.br/br/com/bvmf/internet/service/common/file/fileDownload.jsp?documentId=8A828D294F270E45014FE2426F5D395F
  • PEGY, o que é e como utilizar?
    Ela basicamente relaciona a taxa de crescimento mais os dividendos pagos por uma empresa com o seu P/L. Isso porque o P/L isoladamente não quer dizer muita coisa, mas quando você relaciona com o crescimento e os dividendos, você tem uma ideia de quanto o mercado está cobrando pela geração de valor que está sendo entregue pela empresa. É difícil avaliar os números absolutos, mas de um modo geral um PEGY acima de um quer dizer que a empresa etá gerando valor além do que o mercado está precificando; abaixo de um quer dizer que o mercado está cobrando caro pelo valor que a empresa gera para o acionista.
    Sempre lembrando que esse é um marcador bem "simples" não chega a ser exatamente uma "precificação".

    E esse valores maiores/menores que um são considerando a taxa de crescimento + dividend yeld no numerador, se colocar no denominador aí é ao contrário.
    - Asvidzinski

    PEGY = (Taxa de Crescimento dos Lucros + Dividend Yield)/P/L

    É um indicador financeiro que compara o retorno da ação em relação a seu P/L. Quanto maior, melhor e é desejável que o valor seja maior que 1
    - luqteixeira

    Não serve para escolher empresas para ser socio. Na hora de montar sua carteira, esqueça que existe Pegy. Carteira montada o Bastter System te indica o que comprar por mês de acordo com os objetivos percentuais colocados lá. Se quiser pode utilizar o Pegy quando indicações forem próximas ou substituir o sistema do BS pelo Pegy. A indicação seria o que tem Pegy mais alto. Claro que se for usado tem de ser dentro de limites percentuais para cada empresa. No BS pode-se ordenar as ações pelo PEGY.

  • PNs - Riscos
    1 - As PN estão sendo substituídas pelas debêntures, com as quais se
    confundem, para parte da doutrina jurídica;
    2 - as PN foram criadas para serem empurradas para cima de fundos
    de pensão, compradores compulsórios, e, por tabela, os investidores
    individuais entraram nisso;
    3- "A captação de recursos via debêntures apresenta vantagens
    significativas para as empresas, sendo a principal delas a
    possibilidade de ser planejada sob medida para atender às
    necessidades de cada empreendimento: flexibilidade nos prazos,
    garantias e condições de pagamento permite adequar os pagamentos
    de juros e amortizações às características do projeto e à
    disponibilidade de recursos da companhia.
    Seriam outras vantagens das debêntures: i) os custos baixos de
    captação; ii) a
    classificação dos juros pagos como despesas financeiras, reduzindo a
    incidência de Imposto de
    Renda; iii) a manutenção do controle acionário da companhia, à
    exceção das debêntures com cláusula de conversão em ações;
    4 - EM MÉDIA, AS COMPANHIAS QUE SÓ POSSUEM AÇÕES DO TIPO
    ON EM SUA ESTRUTURA DE SOCIEDADE VALEM MAIS DO QUE AS
    COMPANHIAS QUE POSSUEM AMBOS OS TIPOS DE AÇÕES."
    "REJEITA-SE A HIPÓTESE DE IGUALDADE DE VALOR ENTRE
    EMPRESAS QUE SÓ POSSUEM AÇÕES ON EM SUA ESTRUTURA DE
    PROPRIEDADE, EM RELAÇÃO ÀS QUE POSSUEM AMBOS OS TIPOS,
    ON E PN."
    5 - Vejo a PN muito mais como uma dívida, cujo principal está
    exposto à marcação a mercado e cujos juros estão sujeitos a
    condição suspensiva (no sentido jurídico do termo - se a companhia
    lucrar, seus portadores receberão dividendos). O que a impede de ser
    uma dívida pura e simples, é o fato de a legislação permitir,
    observados determinados requisitos, sua conversão em ações;
    6 - "Duas medidas simples da Bolsa:
    1 - Fim das PNs (claro teria de ser lento e progressivo, mas quando
    eles criaram o NM disseram q todas novas só poderiam entrar no NM
    e voltaram atrás nisso. Entao, regras para progressivamente acabar
    as PNs e nenhuma IPO poderia ser fora do NM;
    2 - Acabar com lotes e fracionário.
    Só isso, duas pequenas medidas,
    já dobraria o número de CPFs na bolsa." (Bastter);
    7 - O que é curioso é que as empresas que têm uma vantagem
    competitiva durável tendem a não possuir ações preferenciais. Isso
    se deve, em parte, à sua tendência a não ter dívida alguma. E,
    EMBORA DO PONTO DE VISTA TÉCNICO SEJAM UMA PARTICIPAÇÃO
    PATRIMONIAL, POIS O DINHEIRO ORIGINALMENTE RECEBIDO
    NUNCA PRECISA SER RESTITUÍDO, AS AÇÕES PREFERENCIAIS
    FUNCIONAM COMO UMA DÍVIDA, pois os dividendos precisam ser
    pagos.
    Mas, ao contrário dos juros pagos por uma dívida, que são dedutíveis
    antes do lucro, antes dos impostos, os dividendos pagos às ações
    preferenciais não o são, o que tende a encarecer muito o dinheiro
    obtido com a emissão de ações preferenciais. Por se tratar de um
    dinheiro caro, as empresas gostam de se manter distantes dele, se
    possível. Portanto, um dos indicadores que procuramos em nossa
    busca por uma companhia com vantagem competitiva durável é a
    ausência de ações preferenciais na sua estrutura de capital." (Warren
    Buffet);
    8 - Mesmo a superioridade na distribuição de dividendos das PN em
    relação às ON é relativa, tudo dependendo do quanto as PN valem,
    em determinado momento, em relação às ON;
    9 - A retirada de um intermediário no processo decisório faz com que
    o risco do investidor diminua e, não obstante, precisamos lembrar
    que quando o investidor opta por ações preferenciais ele OPTA POR
    CORRER O RISCO MÁXIMO dentro dos limites regulados pela prática
    do mercado, justamente, porque ele aliena a sua própria
    possibilidade de decidir sobre a alocação de seus próprios bens e,
    portanto, fica a cargo da discricionariedade dos acionistas que detêm
    o direito de voto (intermediários) nas Assembléias Gerais, evento de
    deliberação máximo da sociedade;
    10 - As formas de organização acionária que permitam separar
    investimento de
    direito de voto, afastando-se do princípio uma ação – um voto,
    contribuem para aumentar os
    custos de agência, deixando os investidores mais vulneráveis ao
    poder daquele acionista que for
    beneficiado com a atribuição de direito de voto desproporcional ao
    montante de investimento que realizou;
    11 - Mesmo no contexto do mercado de capitais dos EUA, no qual as
    PN são consideradas dívida da companhia, ocorre o chamado custo de
    agência e os consequentes benefícios privados ao controlador,
    expropriando minoritários cujas ações não tenham direito de voto e
    tornando a companhia menos eficiente, porque o interesse residual
    patrimonial dos minoritários fica sem representação, por ausência do
    princípio uma ação, um voto;
    12 - em empresas que têm PN sem tag along, o prêmio de controle é
    muito superior ao praticado nos mercados desenvolvidos (chegando a
    mais de 1000%!) e que mostra o verdadeiro escândalo que é a
    existência de PN sem tag along, reafirmando aquilo que o Bastter
    sempre diz: "PN foi feita pra ferrar minoritário.

    Por sandroroda

    Documento completo com mais dados:

    http://www.bastter.com/Mercado/Arquivos/Grupos/Documento/fe3aa93d-8a4a-41e6-81e3-695338a68922.pdf
  • Porque a Venda de Títulos do TD é suspensa?
    1 - O vencimento está próximo (normalmente prazo menor que 2 anos)
    2 - Títulos que pagam cupom, as vendas são suspensas 5 dias antes do pagamento do cupom, voltando ao normal após o pagamento
    3 - Algumas vezes o Governo simplesmente suspende a emissão de um tipo de título porque não interessa a ele a venda.
    4 - Quando a volatilidade da taxa de juros está muito alta, as vendas podem ser suspensas por um período
    5 - Quando há reunião do copom, pode haver suspensão da venda até que a nova taxa de juros seja determinada
  • Porque o preço da ação ta caindo?
  • Qual a diferença de comprar no fracionário
    Nenhuma.
    Fracionário é apenas uma forma de comprar quantidades inferiores ao lote, mas a ação que você compra é a mesma e conforme vão se juntando lotes pode-se negociar nos lotes na venda se desejar.

    O importante é comprar ações de empresas boas se é um lote completo ou no fracionário não faz a menor diferença.

    Importante notar que as vezes o fracionário tem baixa liquidez e deve-se ter atenção na hora de negociar. Tirando isso é tudo a mesma coisa.

    * Observações (enviadas por hendrix):

    - um lote geralmente é composto por 100 ações.

    - Ações negociadas no fracionário tem F no final do código da ação.

    exemplo:

    "Como um lote geralmente é composto por 100 ações, para comprar, por exemplo, 21 ações ABEV3, devemos colocar a ordem de compra de 21 ações ABEV3F (observe o F ao final do código da ação, indicando compra pelo fracionário). Se anteriormente você possuía 230 ações ABEV3, agora você passará a ter 251 ações ABEV3".
  • Qual a Liquidez Razoável para ser sócio?
    Em primeiro lugar entenda que volume negociado não tem a menor importância. Pode ter um volume imenso em apenas 1 negocio no dia o que é péssimo para ser sócio. O que interessa é o número de negócios por dia.

    O problema da baixa liquidez não é entrar. Entrar é fácil, o problema é a empresa piorar e ficar dificil sair devido a baixa liquidez, por isso não se deve fazer posições grandes em ativos de baixa liquidez.

    Dito isso fica dificil determinar um número até mesmo porque a liquidez pode mudar. Diria que acima de 100 negócios por dia é bem tranquilo, mas dá para montar posição com menos do que isso. Cada um tem de decidir o risco que deseja assumir. É totalmente pessoal. Alguns ficam tranquilos em empresas com 10 negocios por dia enquanto que outros não se sentem bem com 50 negócios. Não há um numero definitivo.
  • Qual a quantidade ideal de ações na carteira?
    Não há resposta para esta pergunta. O que se pode dizer e que quanto menos, menor a diversificação, maior o risco e maior a necessidade de acompanhamento pois se voce tem 2 empresas, seu risco médio é de 50% e se voce tem 20 empresas, de 5%. Então quanto menos empresas mais risco e mais necessidade de acompanhar as empresas e o mercado mais de perto.

    Qualquer número entre 12 e 30 está bom. Cada um acha onde se sente confortável.
  • Qual corretora devo escolher para iniciar?
    A pior forma de escolher uma corretora é a que a maioria escolhe: Pelo preço. Os custos para quem vai acumular patrimônio são bem baixos e o mais importante é que a corretora funcione bem, atenda bem e seja confiável.

    Veja as corretoras parceiras da Bastter.com que te dão acesso gratuito a Bastter Blue: Bastter.com - Bastter Blue - Conteúdo Exclusivo - Como Obter Acesso
  • Qual percentual dos investimentos coloco em Ações?
    Não há resposta para esta pergunta, mas é importante saber que a Renda Variável varia e as vezes passa muito tempo em queda. Quem coloca mais do que aguenta em ações pode se assustar com as quedas e terminar vendendo tudo no fundo;

    Não importa quanto voce coloque, o ideal é começar devagar, entrar aos poucos.

    Daí quanto mais novo, menos compromissado com gastos, mais tolerante a risco, maior poderá ser seu percentual em ações.

    O importante é que todos os seus investimentos sejam bons, não importa a divisão.
  • Quantas ações comprar por mês?
    Surge sempre esta dúvida para quem ta começando. A recomendação é simples:

    1 - Coloque todos seus investimentos no BS
    2 - Estabeleça objetivos percentuais
    3 - Uma vez por mês pegue todo o dinheiro novo e compra o que o BS mandar. Uma coisa, no máximo duas.

    Aí o sujeito fica aflito porque ele diz assim, tenho 20 ações na carteira, vai levar 3 anos para que eu compre todas!

    Ótimo, é bom quem ta começando entrar aos poucos e o que adianta voce ter um monte de empresas com 13 ou 8 ações de cada uma?

    Portanto vá com calma, vá acumulando patrimônio em valor que é o que interessa, comprando uma ou duas coisas por mês, que seu patrimônio e renda vai aumentando.

    O que importa é trabalhar e poupar em valor todo mês. Se vai levar 1,2 ou 3 anos para comprar todas as empresas da carteira, tanto faz.
  • Reserva de Emergência?
    Reserva de emergência = capital com alta liquidez disponível para emergências.

    Por isso usualmente se usa a caderneta de poupança para este fim.

    Importante frisar que o fundamental na reserva de emergência é liquidez e não rentabilidade.

    Se você coloca a reserva de emergência em algo com baixa liquidez em busca de mais rentabilidade, na hora da emergência vai ter problemas, não vai resolver o problema ou pode ter um custo maior.

    Uma função primordial da reserva de emergência é não deixar a conta no banco ficar negativa e para isso a poupança funciona perfeitamente. Os juros que se paga com a conta negativa superam qualquer investimento com folga.

    O tamanho da reserva de emergência deve ser determinado por cada um de acordo com as suas características. Se tem familia ou não, idade, estabilidade, etc.

    Algo próximo de 6 meses de gastos é razoável mas pode ser menor ou maior. Cada um decide.

    Muitos colocam a reserva de emergência em outros produtos de renda fixa por não se conformar com a caderneta. Deve-se verificar se realmente possui liquidez imediata (se não tiver não serve) e se a diferença de rentabilidade realmente compensa para o montante da reserva de emergência (normalmente não compensa, costumo brincar que da 13 reais a mais).

    Para maiores detalhes:
    Bastter.com - Grupos - Forum Renda Fixa, Tesouro Direto e Previdência. - Perguntas Frequentes sobre Reserva de Emergência

    Nesta seção ha dois videos sobre Reserva de Emergencia
    Bastter.com - Videos - Finanças Pessoais
  • Reserva de Valor?
    Pequena reserva em ativos de valor para o caso de catástrofe econômica.

    O mais simples é um pequeno percentual do seu patrimonio, tipo 5% (mais ou menos de acordo com os interesses de cada um) em ativos como dollar e ouro FISICOS. Para reserva de valor não servem fundos, ativos na BVMF, coisas assim porque na catastrofe economica tudo perde valor ou é fechado ou é confiscado, tem de ser ativo fisico.
  • Rolagem de Opções
    Video do Bastter explicando:

    Como Rolar Opções Vendidas - YouTube
  • Sair de Empresas
    Por Asvidzinski


    "Lembrando rápido de cabeça, 4 motivos para sair de empresas:

    1- Perder governança;
    2- Perder geração de caixa;
    3- Perder produtividade;
    4- Endividamento.

    Governança talvez seja a mais difícil de avaliar, pois tem um quê de subjetivo. Mas alguns casos são objetivos e fáceis de detectar, como transformar as ações em Units (GETI), diluir acionistas minoritários (PETR)... Se o fato gerador for muito relevante pra você você pode sair de uma vez, ou ir acompanhando para ver se ele vai comprometer os resultados.

    Perder geração de caixa na minha opinião é o principal motivo para deixar uma empresa, pois é um evento que acontece de uma vez e tem um impacto devastador nos resultados da empresa, as vezes mesmo que ela seja boa. Exemplos: ELPL quando teve revisão tarifária, VALE quando a redução do preço do minério chegou a valores muito baixos. Nessas casos tem que sair da empresa de uma vez, a não ser que essa mudança seja algo temporário e você aceite continuar com a empresa passando pelo momento ruim. Exemplo: Algumas elétricas durante a crise energética.

    A perda de produtividade é fácil de detectar mas difícil de decidir se/quando é a hora de sair da empresa. Normalmente você observa pelas margens e elas podem cair pela concorrência, perda do modelo de negócios, mudança no mercado... A perda de produtividade torna o case da empresa menos interessante e diminuiu a geração de valor para o acionista. Normalmente você aguarda um pouco para ver se empresa se recupera, principalmente se a queda nas margens tiver uma boa justificativa, mas se cair demais ou se tornar algo crônico tem que sair. Exemplo: POMO, ETER, siderúrgicas...

    O endividamento também é fácil de observar e difícil de saber o ponto onde não vale a pena mais continuar como sócio. Com o tempo o custo da dívida começa a prejudicar o resultado da empresa, mesmo que ela seja boa operacionalmente. O principal é avaliar se a empresa está se endividando com algum objetivo e se ele está sendo cumprido. O exemplo clássico foi a PETR que embora estivesse se endividando por um motivo tentador, nunca conseguiu entregar os resultados.Empresas que tem que ser olhadas com atenção: NATU, CCRO...

    Isso é só um rascunho, tem N outros motivos para sair de uma empresa antes que o resultado se manifeste no seu patrimônio. Um bom exemplo é quando a empresa perde algo que proporciona a sua vantagem competitiva como perder uma marca, concessão, monopólio. Exemplos: se ETER peder o amianto, se BBSE perder o canal de vendas do BB, se CTIP ganhar concorrência... Pode eventualmente ocorrer algo extraordinário que te deixe desconfortável na empresa, por exemplo o desastre de Mariana, o envolvimento de uma empresa na Lavajato. Não como tem como criar critérios para todas as situações, mas via de regra, todo mundo sabe (ou pelo menos deveria) porque uma empresa é boa e porque você quis ser sócio dela. Quando a empresa perder os motivos que te levaram a comprá-la, é hora de cair fora."

    pagina dos Moderadores
    Bastter.com - Moderadores Bastter.com

    Bastter - Videos

    três videos sobre o assunto:

    - Como Sair de Empresas sem Dor
    - Entrando, Acompanhando e Saindo de Empresas
    - Como eu escolho empresas para ser Socio

    Senesino
    - Senesino ensina a Sair de de empresas ruins

    Para os que estão se iludindo e esperando o empate:

    Quando sair dos Investimentos - O Conceito Absurdo do Empate - YouTube
  • Subscrição
    A subscrição representa um direito dados aos acionistas para que eles adquiram novas ações a custo e preço determinado. A subscrição pode surgir como um benefício aos acionistas caso o preço de subscrição seja inferior ao preço de mercado, de forma que está sendo dada uma espécie de "desconto" para os acionistas.
    Caso o preço seja equivalente ou superior ao de mercado, isso muitas vezes não representa uma vantagem, já que não existe condição diferenciada em relação a quem ainda não possui ações da empresa.

    Exemplo

    Entra na sua carteira XXXX1 ou XXXX2 que são os direitos de subscrição
    Normalmente 1 é relativo a On e 2 a PN

    Tendo os direitos na sua custodia voce pode exercer o direito (funciona semelhante a uma opção) ou vender o direito. Atente que se a quantidade for pequena e tiver corretagem pode não valer a pena vender. O exercício não tem corretagem.

    Se exercer - tem de avisar na corretora que deseja exercer - depois de um tempo os direitos viram recibos - que também podem ser negociados - depois os recibos somem da custodia e depois de alguns dias viram ações.

    As frações de direito são depositadas na sua conta.

    Um resumo de uma subscrição, para ser usada de exemplo, estas informações estão sempre no comunicado referente subscrição que a empresa manda:

    Exemplo - MULTPLAN subscrição 2017

    - Direito de Subscrição = MULT1
    - Relação = Cada acionista recebe 0,054 direitos por cada ação que possui
    - Sobras = As sobras ou fraçoes de direitos serão negociados e o valor correspondente em reais será depositado na sua conta
    - Preço da Subscrição se exercida = R$58,50 (preço pelo qual você estará comprando as ações se exercer os direitos)
    - Prazo = 13/01 a 13/02 - Todas ações compradas a partir de 13/01 não tem direito aos direitos. O direito pode ser exercido até dia 13/02 - comunique a sua corretora que deseja exercer o direito, que significa comprar o numero de direitos que possui por R$58,50 cada
    - Os direitos podem ser vendidos ao preço de mercado (no momento 7,50) mas isso varia de acordo com variações do preço da ação e expectativa (funciona mais ou menos como uma opção)
    - Não vejo interesse algum em comprar os direitos, é uma especulação. Só há este interesse para grandes investidores que precisam comprar posições grandes sem empurrar o preço da ação. (No momento voce pagaria 7,50 pelo direito e o direito é de 58,50 ou seja, 66 reais e a ação ta 64, então menor interesse)
    - Quem exercer o direito, avisar na corretora que deseja exercer, o direito, vira recibo depois do dia 13/02 (Provavelmente MULT2 ou MULT3), os recibos podem ser negociados tambem mas voce nao precisa fazer mais nada, so esperar que os recibos primeiro somem da sua custodia, ai voce nao precisa vier aqui dizer que sumiu, ja ta avisado, e depois reaparecem como ações em alguns dias.

    Eu, nas empresas que considero boas, que estou comprando, sempre exerço os direitos a não ser que sejam por preços maiores que a ação.

    IR
    Neste caso deve ser lançado como uma compra normal, cada ação com o valor de 12,65, sem custos de corretagem, emolumentos etc.
    Exemplo:
    Você fez a subscrição e recebeu uma ação no valor de R$12,65
    Situação em 31/12/2015
    10 ações / Saldo de R$100,00
    Situação em 31/12/2016(Somado as novas ações e o valor pago por elas).
    11 ações / Saldo de R$112,65
    (por fuzdione)
  • Tag Along, afinal o que é?
    Neste artigo você vai entender a governança corporativa e o mecanismo por trás do Tag Along. O direito dos acionistas minoritários de vender suas ações através de oferta pública, no caso de transferência de controle, conhecido como tag along, vem sendo apontado no Brasil como fator importante para melhoria dos níveis de governança corporativa.
    Há, contudo, efeitos perversos e contraditórios que esse instrumento pode provocar, frustrando objetivos maiores da governança corporativa.
    A Lei 6.404/76 instituiu o tag along devido à reduzida liquidez das ações ordinárias em circulação no mercado. Em 1997, a Lei 9.457 revogou o artigo 254 da Lei 6.404, extinguindo o mecanismo a fim de facilitar a venda de companhias sob controle estatal.
    Entre 1997 e março de 2002, quando entra em vigor a Lei 10.303, que reinstituiu o tag along (desta vez, entretanto, por 80% do preço pago aos controladores), os alienantes de controle acionário apropriaram-se da totalidade dos prêmios pagos pelas transferências de controle ocorridas nesse período.
    As entidades estatais foram as maiores beneficiárias da interrupção da vigência do mecanismo, considerando que as privatizações geraram prêmios significativos.
    A melhoria dos níveis de governança corporativa depende de uma mudança de comportamento dos agentes do mercado, através de instrumentos de auto-regulação estabelecidos por entidades associativas dos vários segmentos. As alterações legislativas recentes visam a incentivar e induzir esta mudança de comportamento.
    Há efeitos perversos que esse instrumento pode provocar, frustrando objetivos maiores da governança corporativa.
    A iniciativa da Bovespa de criar o Novo Mercado e o índice de governança corporativa, níveis 1 e 2, foi um passo decisivo na direção deste objetivo.
    É importante, entretanto, estar atento a certas circunstâncias para que não se criem distorções que venham a anular o objetivo maior de estabelecer relações mais eqüitativas.
    Para ingressar no Novo Mercado, é exigido que a companhia tenha exclusivamente ações ordinárias e conceda a todos os acionistas a opção de vender suas ações nas mesmas condições obtidas pelos controladores.
    Já para ingressar no nível 2 da governança corporativa, a companhia precisa atribuir idêntica opção aos detentores de ações ordinárias e também aos detentores de ações preferenciais, só que, neste caso, por preço equivalente a 70% do preço pago aos controladores.
    Por forçosamente aumentar o custo de aquisição do controle e reduzir o valor obtido pelo controlador na transferência, o tag along torna mais difícil a rotatividade desse controle, reduzindo as oportunidades de mudança da administração e diretrizes das companhias, o que se constitui, na maioria dos casos, na solução mais eficaz para revitalizar empresas que não produzem os resultados desejados.
    Tem ainda o tag along o efeito perverso de reduzir a liquidez das ações da companhia que passa por tal processo a níveis inaceitáveis, em decorrência da quase eliminação do free float, não deixando na prática aos acionistas outra alternativa que não vender suas ações por ocasião da oferta pública, acarretando assim a saída da companhia do mercado.
    A alternativa de o adquirente oferecer apenas a parcela do prêmio para que o minoritário permaneça como acionista não é realista, pois não se coaduna com as práticas do mercado.
    O tag along acaba ainda induzindo enormes distorções no mercado, pois qualquer perspectiva de mudança de controle gera um imediato movimento especulativo, em face da possibilidade de um ganho extraordinário totalmente desproporcional ao investimento.
    Isso provoca valorizações absurdas a curto prazo, em função de um fator totalmente artificial. Essas valorizações podem ser frustradas se a alienação não se concretiza, causando então substanciais prejuízos a investidores.
    O próprio anúncio do fato relevante coloca tanto as partes quanto os administradores em difícil posição para determinar o momento em que estão obrigados a fazer o anúncio, em face da incontrolável volatilidade que se pode criar.
    Para os investidores institucionais, surgem conflitos incalculáveis no processo decisório de gerenciamento das carteiras, potencializando efeitos que comprometem o comportamento profissional dos gestores.
    As companhias que passaram do controle estatal para o privado através de leilões em que os adquirentes do controle pagaram prêmios substanciais, encontram grande obstáculo para ampliar o tag along a todas as ações, pois tal mudança na prática implicaria obrigar os atuais controladores, numa eventual transferência de controle, a dividir com os demais acionistas a mera recuperação do valor pago na aquisição.
    Para esses adquirentes dificilmente haveria qualquer prêmio, por terem pago pelas ações valor bem superior às cotações de mercado.
    Ademais, não há eqüidade em estender o tag along às atuais ações preferenciais, compradas por cotações de mercado que não refletiam qualquer perspectiva futura de exercício de voto ou participação no valor do controle da companhia. Essa extensão do tag along constitui, na verdade, um enriquecimento sem causa para os detentores dessas ações.
    As ações preferenciais, por apresentarem maior float, geralmente contam com melhores índices de liquidez.
    Dentro deste cenário, os ditames da governança corporativa seriam melhor atendidos se as exigências para o ingresso no nível 2 fossem reformuladas, exigindo apenas a extensão do tag along em relação a novos lançamentos primários de ações sem direito de voto.
    Esta reformulação poderia incluir compromissos de aumentar o float das atuais preferenciais através de distribuições secundárias das ações que estejam sob a titularidade de controladores.
    Tal procedimento seria mais adequado à realidade do mercado e plenamente eqüitativo, atendendo melhor aos interesses dos próprios titulares de ações preferenciais, por propiciar maiores níveis de adesão ao novo modelo.
    O tag along pode ser útil para remediar a baixa liquidez de ações ordinárias em circulação face ao reduzido float que decorre da usual concentração de mais da metade das ações votantes em poder dos controladores, mas sua extensão a todas as ações das companhias não presta nenhum serviço à melhoria da governança corporativa, podendo, ao contrário, gerar maiores distorções e abusos.
    A generalização do tag along a todas as ações para permitir o ingresso no Novo Mercado e no nível 2 da governança corporativa pode ser obstáculo à adesão de companhias importantes à expansão do novo modelo criado pela Bovespa na busca de uma melhor relação de eqüidade entre controladores e minoritários, que eleve o nível de confiabilidade nas companhias que têm suas ações negociadas no mercado.
    por Paulo Cesar Gonçalves Simões
    Advogado e sócio do Veirano Advogados
    Literatura Recomendada: Dilemas na Gestão Macroeconômica por JOSE A. RODRIGUES. Esta obra tem o objetivo de apresentar de forma compacta um painel com diversos temas, estruturados pelos principais conceitos, políticas e resultados macroeconômicos envolvidos na sociedade brasileira: desenvolvimento econômico, taxa de juros, distribuição de renda, déficit público, política monetária, carga tributária, balanças comercial e de pagamento e taxa cambial.

    Veja tambem: Bastter.com - Grupos - Forum Espaço do Novato - Tag along ? Que bicho é este ?
  • Tenho de Recomprar a Opção Vendida se não vale nada?
    Veja a imagem neste link:
    http://www.bastter.com/Mercado/Arquivos/Grupos/Imagem/48eba63b-192a-4435-a4ad-aa46826cecba.gif

    E depois veja a deste link:
    http://www.bastter.com/Mercado/Arquivos/Grupos/Imagem/7164c104-2bec-402f-b15b-c4468940ee15.gif

    Ambos casos reais. Para fazer venda coberta é necessário compreender o conceito de Venda VE e derretimento de VE. Se ele ja derreteu e você já ganhou o VE não há nada mais a fazer nesta operação a não se perder o que já ganhou e muito mais, então recompre a opção vendida, porque inclusive o tempo que você esta preso em uma venda que não tem mais nada a ganhar, só perder, podem haver outros VEs eficientes a serem vendidos.
  • Venda Coberta, os diferentes tipos
    VC Remuneração (aqui chamamos só de VC):
    ===============
    Premissa: você tem a ação porque quer ser sócio dela.
    Monta:
    - vende opção de compra OTM
    Objetivo: você quer que esta opção perca VE e quer ficar com a ação.

    VCSEG:
    =========
    Premissa: você tem a ação porque quer ser sócio dela e também quer diminiur o risco da VC
    Monta:
    - vende opção de compra OTM na série posterior
    - compra opção de compra na série anterior como seguro
    Objetivo: você quer que esta opção OTM da série posterior perca VE e quer ficar com a ação. E também quer diminuir a perda em caso de alta forte da ação.

    VCSA:
    =======
    Premissa: você não tem a ação, mas quer fazer uma operação similar. Eventualmente você tem a ON, mas a VC é na PN. Em tempo: ter a ON não é obrigatório
    Monta:
    - vende opção de compra OTM na série posterior
    - compra opção PÓ na sério posterior (para a corretora liberar a operação)
    - compra opção de compra na série anterior para simular a VC
    Objetivo: você quer que esta opção OTM da série posterior perca VE e quer ficar com a ação.

    VC Taxa:
    =========
    Premissa: você não tem a ação.
    Monta:
    - compra a ação
    - vende opção de compra bem ITM
    Objetivo: você quer ser exercido, ou seja, vão comprar a sua ação através do exercício do direito de compra. Você quer ganhar uma taxa superior a que teria na renda fixa, através deste exercício, mas assumindo o risco de perder caso não seja exercido e a ação caia de preço mais do que o break even. É cemitério de malandro quando o sujeito inventa de continuar lançando quando a ação cai mais do que o break even.

    por Bugarin
  • Vender Apartamento Para Investir
    Invariavelmente termina sem o apartamento e sem o dinheiro, especialmente quando o dinheiro é colocado na Renda Fixa e se usa os juros da Renda Fixa para pagar o aluguel.

    O principal da RF nao valoriza.
    O aluguel é reajustado anualmente.

    Os juros da RF vão progressivamente pagando cada vez menos do aluguel até que tem de começar a mexer no principal e um dia o dinheiro acaba e fica sem o imóvel e sem o dinheiro.

    Matematica financeira simples

    Discussão sobre o tema:
    Bastter.com - Grupos - Forum Finanças Pessoais - Vender apartamento e aplicar no tesouro direto

Pesquisa Rápida

Novidades para Hoje!

     

    Cotação

    Código:  

    O que você procura ?

    Últimos acessos

    Últimos Balanços

    Próximos Balanços

    Top 10 Bastter Rating

    Rating elaborado com base nos votos dos usuários. Veja as empresas viáveis para estudos.

    Últimas dos Grupos

    Grupos em Destaque

    Ver todos  

    Últimas das Ações

    Ver todas

    Monitor de Mercado

    Siga o Bastter

    Siga o Bastter no Twitter Siga o Bastter no Facebook Siga o Bastter no Youtube

    Patrocinadores

    Clear

    Bastter Blue Grátis!

    Livros grátis para quem assina









    Poker

    Quer aprender mais ?

    Anterior
    Proximo
    Mauricio Coutinho Hissa
    Certificado Nacional do Profissional de Investimentos (CNPI)
    Analista Fundamentalista - Certificado n 1716

    Bastter.com 2001 ©Todos os Direitos Reservados
    Todo o conteúdo deste site é propriedade da Bastter.com, sendo expressamente proibido o seu uso em sites, videos, cursos ou qualquer outro meio de comunicação meio sem autorização expressa do proprietário.